LARINGITE AGUDA

O que é laringite aguda?

A laringite é uma inflamação da laringe, que é a zona da garganta que inclui as cordas vocais. Manifesta-se sobretudo durante a noite, altura em que a dificuldade respiratória parece piorar devido ao ambiente quente da cama, com uma tosse repentina, rouca e aflitiva que leva muitos pais à urgência.

O que causa a laringite aguda?

A principal causa da laringite aguda é infecciosa, em mais de 80% dos casos por vírus (p.ex.  Parainfluenza, Influenza, Vírus Sincicial Respiratório, Adenovírus, Rinovírus). Mais raramente pode ser bacteriana (p.ex. Streptococcus pneumoniae, Haemophilus Influenza, Mycoplasma pneumoniae) ou associar-se a outras causas nomeadamente alérgicas, tóxicas, traumáticas ou no contexto de refluxo gastroesofágico.

Embora possa ocorrer durante todo o ano, é mais frequente no inverno, entre os 3 meses e os 5 anos, e ligeiramente mais nos meninos.

Como se manifesta a laringite aguda?
  • Disfonia = Rouquidão – a voz/choro podem ser roucos, abafados ou mesmo ausentes;
  • Tosse Laríngea = seca e irritativa, tipicamente rouca e conhecida por “tosse de cão”;
  • Dispneia = Dificuldade em respirar – pode estar associada a estridor (som agudo durante a inspiração, que resulta do ar a passar pela garganta inflamada e, por isso, mais estreita que o habitual); este é mais frequente quando a criança chora, se irrita, tem febre alta ou o ambiente está quente;
  • Odinofagia = Dor de garganta;
  • Disfagia = Dificuldade ao engolir.

As últimas duas manifestações são comuns a outras infeções da garganta, como a faringite e a amigdalite aguda. A diferença é que nestas, não há rouquidão; e na laringite há.

O que fazer perante uma situação de laringite aguda?
  • Eleve a cabeceira da cama, a uma altura de 30 a 45º, através da colocação de um rolo de cobertor debaixo do colchão ou utilização de duas almofadas nas crianças maiores.
  • Mantenha um ambiente calmo, de modo a evitar o choro e a irritação da criança;
  • Ponha-a a respirar ar frio, sentando-a agasalhada à janela ou em frente ao frigorífico. O frio funciona como anti-inflamatório, reduzindo o inchaço da laringe e melhorando os sintomas. Ambientes com aquecedores ligados ou lareira acessa, ao contrário do que a maioria dos pais pensa, são mesmo de evitar pois vão agravar os sintomas.
  • Ofereça líquidos variados, mornos ou frios, de modo a reforçar a hidratação;
  • Se febre ou dor, dê antipiréticos (p.ex. paracetamol ou ibuprofeno, este último preferível nalguns casos pelo seu efeito anti-inflamatório)  

Na maioria dos casos, estes passos são suficientes para aliviar os sintomas. No entanto se vir que a criança mantém dificuldade em respirar, tem a zona em volta da boca azulada, está pálida e muito agitada, saliva mais do que o habitual, vomita ou não quer beber, e/ou está muito prostada deve levá-la à urgência para observação.  

Como se trata uma laringite aguda?

Nos casos em que a observação médica é necessária, pode ser necessária a administração de corticoides, o recurso a terapêutica específica com aerossóis e ainda a prescrição de antibióticos, sobretudo quando expectoração com pús e febre alta. Raramente será necessário o internamento, estando esta situação limitada aos casos de desidratação (por recusa na alimentação/ingestão de líquidos) e de dificuldade respiratória grave.

Algumas medidas que podem ajudar a prevenir:
  • Evite expor a criança a ambientes com fumo;
  • Evite colocar a criança em ambientes muito aquecidos;
  • Mantenha a elevação da cabeceira da cama, sobretudo em crianças mais pequenas;
  • Quando tendência a alergias, tentar diagnosticar e controlá-las o melhor possível;
  • Quando refluxo gastroesofágico, tratá-lo o mais cedo e adequadamente possível.

Em resumo, a laringite aguda pode ser uma situação assustadora que leva muitos pais à urgência mas é muito frequente e tipicamente benigna e autolimitada. Como é um tema que coloca sempre muitas dúvidas aos pais, se mesmo após o texto houver questões, estejam à vontade para colocar!

Comentários ( 7 )

  • Jorge Marques

    Parabéns pela iniciativa.

    • Inês Marques

      Obrigada! E quaisquer sugestões de temas estamos cá para as receber 😉

  • Mimi

    O meu filho tem laringite, tomou Celestone durante 3 dias, acabou quarta-feira, hoje sexta feira está outra vez com bastante tosse. Devo levá-lo novamente ao hospital? Obrigada

    • Inês Marques

      Não precisa de ir sempre ao hospital – na crise: ar frio (frigorífico, janela ou varanda) e dar a 1ª dose de celestone – na maioria dos casos vai resolver, sem necessidade de idas desnecessárias à urgência. Quando deve ir? Se fazendo isto não melhora e/ou agrava.

  • Danielle Barreto

    Nossa muito boa explicação. Ajudou bastante. Meu menino tem laringite desde 1 ano de vida. Ela sempre ataca entre o mês 4 por aí… Hoje ele tem 6 anos ano passado foi o primeiro ano que ele não teve nada. Então do nada hoje começou com a rouquidão a noite. Porém sem estridor graças a Deus.

  • Rebeca Furtado

    Dra, em casos de laringite de repetição (mais de 5 vezes ao ano) em criança de 5 anos, com histórico de alergias atópica, que melhora com essas medidas em casa, é necessário algum tratamento preventivo ou para não agravar o quadro?

    • Inês Marques

      Bom dia. O tratamento preventivo poderá ser feito caso se identifique mesmo uma base alérgica. Isto porque a maioria dos casos de laringite são virais e agudos e, como tal, são tratados na crise mas difíceis de prevenir. O que ajuda? Havendo essa tendência a fazer laringites, o ideal é que a criança durma sempre num local em que o ar que respira esteja mais frio (pelo menos não aquecido), livre de lareiras, limpo dentro do possível de alergénios identificados (ex. pó da casa/ácaros). Qualquer coisa disponha.

Deixe um Comentário